11 de Janeiro de 2008

(Carta dele para ele, após cinco anos de relacionamento... quando se apercebeu que as coisas não eram bem o que costumavam ser. Os seus sentimentos. As suas decisões. Para um futuro... a sós!)

Olá querido,

Tenho tentado arranjar tantas formas de te dizer isto há já tanto tempo que já nem me lembro de quando comecei a sentir-me assim. Mas, às vezes, nunca consegui arranjar as palavras certas e, sinceramente, a coragem para te dizer pessoalmente e, das outras vezes, senti que não terias tempo e vontade de me ouvir dizê-las.

Ainda me lembro da primeira vez que me sentei contigo naquela pastelaria. Lembro-me de cada palavra que me dirigiste. E nem parece que já se tenha passado cinco anos desde que nos conhecemos. Mas, há já algum tempo para cá, tenho sentido que só estamos juntos porque já nos habituámos a estar juntos... o casal perfeito aos olhos dos outros. Mas diz-me sinceramente quanto tempo é que estamos realmente juntos?

Eu era tão novo quando te conheci. Ensinaste-me o que é estabilidade e sempre te fui sincero e fiel durante estes anos todos. Mas às vezes pergunto-me, será que é isto o quero para a minha vida? E cheguei à conclusão que não... Não desta forma. Olho para os meus amigos e questiono-me onde a nossa relação correu mal. E a ironia disto tudo é que não conseguimos admitir um ao outro que a nossa relação correu mal a partir de um certo ponto. Falamos um com o outro durante uns dois ou três minutos... mas mais pela razão de falar do que por outra razão qualquer. Alguma vez me chamas porque tens saudades da minha voz? Alguma vez me chamas porque tens algo a desabafar?

Sempre me deste e respeitaste o espaço que toda a gente deseja mas, neste momento, o que sinto é que nem estou numa relação. Quando é que foi a última vez que me disseste que me amas? Ou, falando nisso, a última vez que te disse que te amo? Lembras-te? Eu não.

Porque me sinto obrigado a contar-te tudo apenas porque tenho e nunca porque quero? Porque sinto que eu existindo na tua vida ou tu existindo na minha já não faz diferença nenhuma? Para onde foi todo o amor que sentíamos um pelo outro? Será que simplesmente morreu? Quando foi a última vez que nos sentámos para falar apenas sobre nós os dois, os nossos sonhos e o nosso futuro? Quando foi a última vez que acreditei que saberia o que querias me dizer sem teres que falar? Existem tantas e tantas perguntas, e eu tentei descobrir as respostas sozinho mas nunca consegui chegar a uma conclusão.

Amor, cheguei a um ponto em que estou a precisar mais do que dois minutos de conversa numa relação. Porque sinto que és mais um amigo do que um parceiro? Porque será que sinto que nem queres que eu faça parte da tua vida desta forma? Porque sinto que não encaixo na tua realidade? Não é como se isto tivesse começado quando começaste a trabalhar para mais longe, começou muito antes. Quando é que foi a última vez que tiveste a necessidade de estares comigo a sós, sem que os teus amigos estejam presentes? Porque será que me dou melhor com os teus amigos do que contigo? Mas, desde que te conheço que o teu mundo se tornou no meu mundo, já nem tenho amigos meus. Nem um sequer!

Não sei se estou a ser justo contigo. Apenas sei que estou a ser honesto comigo mesmo. Tudo o que preciso é de espaço para mim mesmo, não o espaço que me deste e respeitas, mas o meu próprio espaço. Quero divertir-me sem ter que me sentir culpado por fazer algo que te possa vir a magoar. Quero ter a liberdade de, caso não atenda quando me ligas, não me sentir obrigado a explicar porquê. Quero tomar decisões acerca da minha vida sem ter que pensar em como isso irá afectar a tua vida. Não posso fazer isso? Em que pé estamos nós? Será que te sentes, sinceramente, que sou a pessoa com quem queres passar o resto da tua vida? Porque nunca me perguntaste o que eu queria para o meu futuro? Alguma vez perguntaste o que desejo da vida e que expectativas tenho de ti?

Estive a pensar sobre porque me sinto tão inútil ultimamente. Há alturas em que me apetece falar com alguém sobre os meus medos, os meus pensamentos, as minhas inibições e tudo o que me vai na cabeça. Mas não tenho ninguém... Já nem sinto que quero contar isso tudo a alguém. Teria-te chamado tantas vezes para falar destas coisas mas nunca consegui. A tua presença na minha vida tem sido tão intensa que, quando estás longe, sinto-me completamente perdido e sem controlo da minha vida. Será isto motivo suficiente para eu desejar ficar sozinho?

Já não quero estar nesta relação porque ela fez-nos esquecer que temos as nossas próprias vidas também. Sempre te amarei porque eu sou quem sou, como pessoa, por causa de ti. Mas quero estar livre, para viver a minha vida, para experimentar as coisas que sei que, dentro de anos, não poderei experimentar... Fazer as coisas que sempre desejei fazer.

Sei que as coisas não estarão iguais depois de leres esta carta. E não sei como irás reagir ao leres as minhas palavras. E já não estarei mais em casa quando o fizeres. Apenas posso ter esperanças que consigas ver as coisas do meu ponto de vista. Se não te contar o que sinto agora, poderei nunca mais o fazer... e continuaríamos a ser o casal perfeito, sem o verdadeiro elo entre nós. Não sei o que o futuro tem para nós mas sei que não teremos grande futuro com tantas coisas atormentando-nos. Ninguém tem realmente a culpa, ou talvez nós os dois tenhamos culpa... Só sei que quero ficar sozinho.

Desculpa-me, mas não sabia que mais escrever para além disto. Eu amo-te e sempre te amarei. Tu és aquele que me transformou num homem... tanto em corpo como em espírito. E quero ser sempre teu... mas não desta forma. Não com estas dúvidas. E tudo o que peço é um tempo sozinho sem quaisquer expectativas vindas de ti ou de outra pessoa. Desculpa também a forma como faço isto mas, se não o fizer desta forma talvez nunca consiga o fazer de outra.

Amo-te sempre,
Adeus,
De alguém.
publicado por Arms às 19:17
tags:
É triste, verdadeiro, ao mesmo tempo provoca um pouco de revolta, porque como é que um amor tão puro chega a isto? Mas é um facto que acontece e se calhar, o melhor é que termine assim e cada um siga o seu rumo numa tentativa de alcançar a felicidade.
Good luck
TheTalesMaker a 13 de Janeiro de 2008 às 20:03
E acaba tantas vezes assim...
Graduated Fool a 14 de Janeiro de 2008 às 22:29
mais sobre mim
Prémios
Image Hosted by ImageShack.us
By Eu... Gay... e o meu Mundo
By Etnias

Image Hosted by ImageShack.us
By Etnias

Image Hosted by ImageShack.us
By Felizes Juntos (2009).
quote: o traço bonito e elegante reflectido no ímpeto neutralizado dos dias
By Felizes Juntos (2008)
quote: bom gosto e traço bonito e elegante.


últ. comentários
Olha eu estou exatamente igual.. Não me conseguiri...
Olá Arms!Há quanto tempo! Não tenho acompanhado es...
aqui ha dias vi te a subir a rua do sol ao rato.j...
Bem fixe isto. Nos extremos há coisas que nem sabe...
se estiver interessado/a num novo template para o ...
Sim, concordo.Mas acima de tudo, mais intervenção ...
Silêncio a mais... nessas viagens todas não há int...
Bom regresso à blogosfera
Concordo com o que dizes, tambem sou solteiro e as...
Parabéns pelo seu blog, muito interessante. Estou ...
blogs SAPO
Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
17
18
20
21
23
25
26
28
pesquisar neste blog