Hoje passei de carro perto da praia e pensei exactamente o mesmo...
Apeteceu-me pedir para pararem ali no meio da estrada e correr para a praia.
João a 6 de Dezembro de 2010 às 17:54
fogo, eu aadoro chuva
apesar de ser um pouco deprimente kuando estamos sos...

kuando era pekeno (n k seja mt grande...) andava bues a chuva.. pk nunca gostei de chapeu-de-chuva...

ir a praia com chuva, sempre foi um desejo...

n ha convites desses...
ritchi a 10 de Dezembro de 2010 às 02:05
ficas convidado para visitares os açores, e por cá arranja-se uma casa de frente para o mar.
mas acredita quando te digo, que vais ver pouco. pois os vidros ficam cheios de resalga.
mas sempre dá para no jardim sentires o vento salgado, o sal nos lábios e ouvires o mar a subir pelas rochas.
jobé a 10 de Dezembro de 2010 às 19:42
A paz que faz sonhar é aquela que se encontra num coração pacífico.
E como «o essencial é invisível aos olhos,
pois só se vê bem com o coração»
[O Principezinho, de Antoine de Saint-Exupéry),
é compreensível que o contacto com a natureza,
mesmo na aparente rudeza das suas manifestações,
suscite esse sentimento de paz
que gera os sonhos dos pacíficos de coração.
Th.M. a 11 de Dezembro de 2010 às 02:54
Um sentimento de paz interior que nos conseguesse fazer navegar ao interior de nós mesmo, e donde temos uma percepção das coisas distinta... como se olhassemos para o mundo com a perfeita noção de que sentimos tudo o que nos toca.
A chuva, a areia o ar... o som das ondas que nos invade...

gostei do teu blog... beijinho.
lonelywoman a 19 de Dezembro de 2010 às 16:32
Faço minhas as tuas palavras literalmente.. :)
Rucah a 5 de Janeiro de 2011 às 19:59