17 de Agosto de 2010

A palavra dislexia foi inventada por Nazis para chatear as crianças com dislexia. - Eddie Izzard

 

A palavra hippopotomonstrosesquipedaliophobia foi inventada por psicólogos para terrificar pessoas com fobia a palavras compridas.

 

Pessoas racistas, interessantemente, nunca sao tão educadas como fumadores. Já repararam nisso? Os fumadores geralmente perguntam "Importe-se que eu fume? Ah, importa-se? Ok, vou lá para fora fumar um cigarro!" Racistas nunca perguntam "Importe-se que eu seja racista? Ah, importa-se? Ok, vou lá para fora... rai's me partam estas pessoas azúis, heim!? Chegando aqui e roubando os nossos hamsters..." - Eddie Izzard

 

Pavlov nunca poderia ter treinado um gato, porque o gato simplesmente não lhe daria atenção nenhuma.

 

Se nunca viste um elefante a fazer ski, nunca estiveste sob o efeito de ácidos.

 

A minha professora pediu-me, um dia, para escrever a palavra "amor" e escrevi o alfabeto. Ela disse-me: Isso não é a palavra 'amor'! Eu respondi: É, está ali o A, o M, o O e o R. O resto são letras silenciosas.

 

publicado por Arms às 13:31
tags:
14 de Agosto de 2010

Ontem, em conversa com um cliente, que veio digitalizar os seus documentos do automóvel, apercebi-me do quão sortudo sou por nunca ter tido interesse em ter carro (ou carta, para todos os efeitos). Existem desvantagens em não ter carro: estar dependente de transportes públicos, nunca poder ir para onde quero, quando quero, etc. Mas, tendo em conta as desvantagens em tê-lo (ter que pagar seguro, gasolina, poluir o ambiente, ficar gradualmente com o corpo abaixo de forma, etc.), acho que estou melhor indo e vindo dos sítios para onde quero ir a penantes. Afinal, para mim, as vantagens superam as desvantagens. Vantagens tais como:

 

- Fica-se com umas boas pernas, bem torneadas.

- Posso facilmente mudar de velocidade, direcção, travar, inverter a marcha, inverter a direcção, parar onde quero, etc.

- Não gasto dinheiro em gasolina.

- Se quiser ir para longe posso ir de autocarro, comboio, avião ou barco. Com a vantagem de poder apreciar paisagens diferentes em Portugal.

- Não ter carro obriga-me a viajar leve nas férias, o que me obriga a ter o hábito de não comprar tudo e mais alguma coisa em termos de lembranças porque depois não teria como carregar com tudo. Para que se tenha noção, poupei quase 100€ nas minhas últimas férias por causa desta limitação de transporte. Esses quase 100€ ajudaram na compra deste portátil de onde escrevo este post.

- O coração leva um treino contínuo, reduzindo a possibilidade de ataques cardíacos porque tenho a certeza que ando mais do que 8kms por dia.

- Queima-se imensas calorias e reduz-se no colestrol.

- Posso seguir ao meu ritmo e não ter que aturar sinais de trânsito nem engarrafamentos.

 

Mas a melhor de todas é:

 

- Se eu vir um giraço na rua, posso parar à vontade sem ter que me preocupar em causar acidentes...

publicado por Arms às 13:34
16 de Janeiro de 2010

Eu - Imagina alguém com o sobrenome Falecido...

Ele - Ui! Diria logo... Mas o Sr.Falecido está com óptima cara. E continua activo. Tem algum mecanismo que o mantem vivo?

Eu - Bom, ele provavelmente responderia: Sim, tenho um mecanismo que me mantem vivo. Chama-se pulmões!

publicado por Arms às 13:10
05 de Setembro de 2009

1. Precisas de comer muitos cogumelos para cresceres e ficares forte.


2. Não existe problema que não consigas resolver rodopiando muito, muito depressa.


3. Quantas mais pessoas matares, mais popular te tornas.

 

4. Se as coisas não correm como queres podes matá-los a todos.

 

5. A vida deveria de vir com um botão de "Pausa"!

 

6. O valor de todo o trabalho pesado que fazes será sempre dado a animais malucos que falam.

 

7. Pessoas ligeiramente feias são malignas.

 

8. A realeza é incapaz de limpar as suas asneiras porque são arrogantes estúpidos e preguiçosos e é por isso que te enviam na vez deles.

 

9. Espadas, armas e munições não precisam de ser comprados porque poderás sempre encontrá-los no chão durante as tuas viagens.

 

10. Ninguém realmente morre. Basta voltares ao início e começar tudo de novo.

 

11. Nunca uses a porta da frente de qualquer edifício. Sobe ao telhado e atravessa uma janela.

12. Deverás ser capaz de saltar muito alto sem problemas.

13. Há SEMPRE um inimigo inesperado ao fundo do túnel.

14. É mais fácil matar-te quando perdes todos os teus anéis de ouro.

15. Cidadãos e aldeãos são igualmente inúteis.

16. A vida deveria de vir com a opção "Modo fácil".

17. Lá porque uma pessoa é grande e lenta não significa necessariamente que é fácil de vencer.

18. Coadjuvantes são inuteis. Divertidos de tempos a tempos mas, para além disso, completamente inúteis... e são mortos muito rapidamente.

19. Repara que a segurança deve ser realmente muito má para que um elemento da realeza seja raptada tantas vezes...

20. Há um "cheat code" para quase qualquer eventualidade

21. Tu PODES e DEVES comer a comida que encontras espalhada pelo chão porque te tornará muito saudável.

22. Tu podes roubar carros sem teres muitos problemas dos seus donos e os polícias deixam de te perseguir assim que ultrapassas uma certa zona da tua cidade.

23. Guardas são tão burros que consegues passar por eles usando uma caixa de cartão como disfarce.

24. A guerra deveria de funcionar por turnos porque isso torna tudo mais justo para todos os envolvidos.

25. Corta alguém e ele deixará sangue por cima dos móveis, da carpete e dos outros jogadores mans NÃO morrerá até que o mates CORRECTAMENTE.

26. Não interessa quantas vezes consegues salvar a maldita princesa, terás que a salvar no próximo jogo.

27. O "caminho mais rápido" nem sempre é o caminho mais sábio.

publicado por Arms às 21:56
tags:
25 de Agosto de 2009

O Pinóquio tinha uma namorada humana que passava o tempo todo a queixar-se de lascas na pele quando o assunto se tratava de sexo. Assim, o Pinóquio foi ter com o Gepeto que sugeriu que ele tentasse um pouco de lixa na zona para alisar. E o Pinóquio partiu saltitando de alegria.

 

Umas semanas depois o Gepeto, vendo o Pinóquio a passear todo contente na rua, perguntou-lhe: Então sempre resolveste o problema? Como vai a namorada?

 

Ao que ele respondeu: Quem precisa de uma namorada?

publicado por Arms às 17:25
tags:
24 de Agosto de 2009

Era uma vez uma senhora que vivia num sapato, porque ela simplesmente não tinha dinheiro para poder pagar uma renda. Há uns meses vanlentes atrás, ela pediu ao cabeça-de-vento do seu filho João que levasse a vaca da família ao mercado e o vendesse. E, em vez de vender a Mimosa no mercado, o idiota trocou-a por uns míseros feijões inúteis.


Bom, já todos conhecemos a história dos feijões e como elas se transformaram num pé-de-feijão gigante, onde o João subiu e conheceu o Gigante... e onde o João roubou o Ganso dos ovos de ouro. Certo?

 

Então, aqui vai o resto da história. Os ovos que o João roubou valeram uma fortuna e fizeram do João e da mãe dele bilionários. Compraram casa, mobília, apareceram na Life magazine, na lista dos 100 mais ricos da Forbes, competindo com o Bill Gates. Infelizmente, o Rei de Copas ouviu falar da sua riqueza (como se ninguém no planeta já não tivesse...) e mandou todos os seus cavalos e todos os seus homens para tentarem um acordo com os bilionários.

 

Encontraram o João e a mãe dele nas corridas de cavalos, colocando as apostas nos cavaleiros sem cabeça e, antes que eles pudessem se aperceber, todos os cavalos do rei e todos os homens do rei levaram-nos de volta ao castelo. O castelo ficava lá em cima nas montanhas e estava rodeada por uma fossa profunda cheia de dragões que cospem fogo.

 

O rei encheu o João e a mãe de comida, bebida e entretenimento durante horas. A festa durou até à meia-noite e, enquanto o relógios dava as doze badaladas, as pessoas partiam deixando um sapato para trás e entrando nas suas carroças de abóbora.

 

Mas o João recusou em aceitar qualquer tipo de acordo com o rei, apesar dos pedidos constantes da mãe receosa. Foram banidos para a sua vila de um cavalo apenas - e agora menos uma vaca - e o rei ficou com o ganso para si mesmo.

 

A mãe do João não conseguiu pagar a renda e o único local onde poderia viver na vila era um sapato abandonado por uma velhota que geria uma casa alternativa cheia de imigrantes ilegais de leste.

 

Da última vez que se ouviu, o João estava a trabalhar para um fabricante de velas como cobaia de testes para ver a durabilidade de velas e a mãe dele estava a limpar casa através da Empresa de Limpezas Cinderela.

 

Moral da história... Não tenham filhos!

publicado por Arms às 08:51
21 de Junho de 2009

(Uma das minhas primeiras tentativas em humor. Espero que gostem)

CAPÍTULO 1: A ERA DAS COISAS ABORRECIDAS

No início havia imensos gases a flutuar no vácuo. Mais ou menos como o oxigénio na nossa atmosfera, ou como os neurónios no cérebro de uma loira. Depois, através da magia da ciência ou da ciência da magia (depende se és ateu ou cristão), o mundo formou-se.

Primeiro não havia nada para além de água, micro-organismos e talvez peixes muito pequenos e eles nadavam ali. E alguns organismos comeram outros organismos e tudo sobrevivia assim. Por isso, nada de interessante aconteceu, excepto o arroto ocasional. E talvez, provavelmente algumas manifestações musicais espontâneas. Mas, mesmo assim, as coisas foram acontecendo e todos estavam felizes… excepto os organismos que foram comidos por outros organismos. Mas ninguém gostava deles… nunca foram convidados para as festas.

Os organismos tentaram, durante muito tempo, andar sobre a superfície mas falhavam constantemente por causa da sua falta essencial de pulmões. Finalmente, um dos peixes disse… ou melhor, pensou… pensando bem, instintivou para consigo mesmo: “Sabes! Se calhar não era má ideia crescer uns pulmões.” E ele tentou crescer uns pulmões mas acabava sempre se peidando no processo. Mas depois instintivou: “Que se lixe a física!” E cresceu uns pulmões. E umas patas. E depois subiu para a superfície. E, eventualmente, mais e mais criaturas subiram para a superfície, pegando nas suas mochilas microscópicas e “indo corajosamente onde nenhum micro-organismo foi antes”.

As coisas evoluíram e as criaturas continuavam vivendo juntos, comendo uns aos outros, felizes. Excepto para os que eram comidos. E, depois de uns milhões de anos de tédio, ocasionais arrotos e demonstrações musicais, as criaturas cresceram até se tornarem naquilo que conhecemos como dinossauros. Estes dinossauros andavam por aí durante um bocado, calcando o chão, às vezes comiam coisas e, às vezes, não. Também existiam umas criaturas pequenas e peludas que gatinhavam juntos das patas dos dinossauros e, às vezes, eram comidos por engano. Já havia mais movimento mas as coisas continuavam meio lentas. Continuava a haver arrotos, eventuais demonstrações musicais… e as primeiras bolas de pêlo. Alguém aparentemente ficou aborrecido porque, um bocadinho depois, um gigantesco meteorito caiu do céu e matou quase todos os dinossauros, excepto aqueles que se enfiaram nas grutas e formaram uma sociedade superior até serem expulsos. E as criaturas pequenas e peludas, que costumavam gatinhar junto às patas dos dinossauros e eram comidos por engano, tornaram-se nos donos da Terra. Esta foi a primeira vez que uns idiotas sem importância ganharam um prémio, mas não seria a única vez.

Entretanto, os peixes continuavam a nadar nos oceanos. Felizmente para os peixes, ninguém à superfície parecia importar-se. Mas isso também iria mudar.

FIM DO PRIMEIRO CAPÍTULO
publicado por Arms às 18:23
02 de Junho de 2009




O Tira-agrafos (Agrafatae Devoratus), apesar de ser uma das criaturas mais pequenas do escritório, detem ainda a reputação de ser um dos predadores mais temidos do ecossistema.

A característica mais vincada desta entidade são os quatro longos dentes que lhe confere um sorriso quase ameaçador. Desprovidos de veneno mas, no entanto, afiados, estes dentes são capazes de se cravarem nas suas presas preferidas, os Agrafos (Metalae Agrafus), mesmo que estejam firmemente enraizados no seu habitat mais seguro. Com uma mordedura segura e mortífera, o Tira-agrafos esmaga o agrafo indefeso e arrasta-o para fora do seu habitat para uma refeição terrível. Apesar de ser visto maioritariamente como um animal solitário, uma matilha de Tira-agrafos são geralmente conhecidos por desfazer-se do metal de inúmeros documentos e apresentações em menos de um minuto.

Uma vez por ano, o Tira-agrafos macho instintivamente inicia um ritual de acasalamento selvagem. Este ritual inicia-se com o ataque e tentativa de captura do Fotocopiador. Muitos perdem-se durante a batalha contra esta besta massiva, mas aqueles Tira-agrafos que sobrevivem sem os seus dentes e ligações destruidos são promovidos para anciões da matilha. Os que não sobrevivem e têm os seus dentes deformados ou partidos e as suas articulações gastas são seleccionados pelos humanos para a renovação da espécie recorrendo a um processo complicado chamado "Compras numa loja de material de escritório". Não será necessário dizer que as lojas de material de escritório tendem a estarem fechados quando isto acontece.

Com a invasão de imensas espécies como o Clip-de-papel, o elástico e a recente invasão massiva de Emails, uma das espécies mais jovens, originando efeitos adversos à sua fonte de alimentação, o Tira-agrafos é conhecido por recorrer a outras espécies para sobreviver; especialmente ao Funcionário-aborrecido, um ser vivo curioso e inconsciente que tende a enfiar o dedo em qualquer coisa pelo menos uma vez.

O único predador do tira-agrafos conhecido é o omnívoro Espaço-entre-a-mesa-e-a-parede. 

Outra ameaça conhecida é a terrível entidade que ameaça todas as espécies do escritório e que tem o nome de Buraco-Negro-do-Escritório. Também conhecido pelas suas alcunhas "Estava-aqui-mesmo-agora", "Onde-pus-o-Tira-Agrafos" e a mais conhecida "Mas-desaparece-tudo-neste-escritório?".

O Tira-agrafos, uma espécie fascinante e muitas vezes incompreendida, cheia de vida e riqueza onde a simplicidade das formas do seu corpo se aliam à ferocidade da eficácia das suas presas.

- em "Wild Workspace", 
documentário especial da National Geographic.

(Imaginem isto narrado por Sir David Attenborough ou pelo nosso José Hermano Saraiva.)
publicado por Arms às 10:58
29 de Maio de 2009

As coisas que se encontram no YouTube. LOOOOOOOOL!


publicado por Arms às 12:24
16 de Maio de 2009

Recebi este mail à dias e decidi partilhar...
- O Papa vive no Vácuo
. (Isso explica muitas das opiniões dele...)

- Antigamente na França os criminosos eram executados com a Gelatina. (Pelo menos não doía tanto...)

- Em Portugal os homens e as Mulheres podem casar. A isto chama-se monotonia. (Eu pessoalmente acho esta fantástica!)

- Em nossa casa cada um tem o seu quarto. Só o papá é que tem de dormir sempre com a mamã.

- Os homens não podem casar com homens porque então ninguém podia usar o vestido de noiva. (Eu não sei quanto a vocês mas eu fiquei esclarecido. Haja alguém que tenha uma preocupação válida! LOOL!)

- Os meus pais só compram papel higiénico cinzento, porque já foi utilizado e é bom para o ambiente. (Que bom!)

- Adoptar uma criança é melhor! Assim os pais podem escolher os filhos e não têm de ficar com os que lhe saem. (Pois é, com os animais de estimação também funciona assim!)

- Adão e Eva viviam em Paris. (Sim! Alguns dizem que aquilo é um Paraíso...)

- O hemisfério Norte gira no sentido contrário do hemisfério Sul. (Viver ao longo do Equador deve ser muito divertido)

- As vacas não podem correr para não verterem o leite. (É bom saber isso)

- Um pêssego é como uma maçã só que com um tapete por cima. (Nunca tinha pensado nisto!)
- Os douradinhos já estão mortos há muito tempo. Já não conseguem nadar! (Conseguem sim! No óleo da frigideira)

- Eu não sou baptizado, mas estou vacinado. (Esta tenho que ensinar aos meus sobrinhos!)

- Depois do homem deixar de ser macaco passou a ser Egípcio. (Há coisas fantásticas, não há?)
- A Primavera é a primeira estação do ano. É na primavera que as galinhas põem os ovos e os agricultores põem as batatas. (Nunca mais como batatas!)

- O meu tio levou o porco para a casota e lá foi morto juntamente com o meu avô. (Bem, se o avô já lá estava...)

- Quando o nosso cão ladrou de noite a minha mãe foi lá fora amamenta-lo. Se não os vizinhos ficavam chateados. (E assim como terão ficado?)

- A minha tia tem tantas dores nos braços que mal consegue erguê-los por cima da cabeça e com as pernas é a mesma coisa. (Acho que a mim aconteceria o mesmo às pernas)

- Um círculo é um quadrado redondo. (Esta é absolutamente fantástica!)

- A terra gira 365 dias todos os anos, mas a cada 4 anos precisa de mais um dia e é sempre em Fevereiro. Não sei porquê. Talvez por estar muito frio. (Um génio!)

- A minha irmã está muito doente. Todos os dias toma uma pílula, mas as escondidas para os meus pais não ficarem preocupados. (Sem comentários)

publicado por Arms às 18:10
tags:
mais sobre mim
Prémios
Image Hosted by ImageShack.us
By Eu... Gay... e o meu Mundo
By Etnias

Image Hosted by ImageShack.us
By Etnias

Image Hosted by ImageShack.us
By Felizes Juntos (2009).
quote: o traço bonito e elegante reflectido no ímpeto neutralizado dos dias
By Felizes Juntos (2008)
quote: bom gosto e traço bonito e elegante.


últ. comentários
Que texto! Que texto! Sou solteiro por opção e que...
Olha eu estou exatamente igual.. Não me conseguiri...
Olá Arms!Há quanto tempo! Não tenho acompanhado es...
aqui ha dias vi te a subir a rua do sol ao rato.j...
Bem fixe isto. Nos extremos há coisas que nem sabe...
se estiver interessado/a num novo template para o ...
Sim, concordo.Mas acima de tudo, mais intervenção ...
Silêncio a mais... nessas viagens todas não há int...
Bom regresso à blogosfera
Concordo com o que dizes, tambem sou solteiro e as...
subscrever feeds
blogs SAPO
Agosto 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
pesquisar neste blog