Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

reflectmyself

reflectmyself

Diferente = Errado

Arms, 28.10.08
Eu sempre fui uma pessoa que pensasse demasiado. Não posso evitá-lo. It's in my nature! E, como tal, muitos dos meus pontos de vista acerca de vários temas são diferentes do habitual. Tenho perspectivas, digamos únicas, acerca de assuntos que, para muitos, parece tender para o preconceito. Agora, quem me conhecer sabe que sou tudo menos preconceituoso. Sou brincalhão, sim. E não tenho problemas em brincar com assuntos voláteis. Mas, daí a ser preconceituoso vai um largo passo. Mas ando a divagar.

Acho interessante que, quando dou uma opinião acerca de um assunto, as pessoas classificam a minha opinião como errada. Automaticamente. Quando, bem vistas as coisas, estou a concordar com essas pessas. Apenas tenho um ponto de vista diferente. E eles caem-nos em cima como bigornas. "E estás errado! E não é bem assim! Vamos lá ver se nos entendemos..."

Vamos lá a ver se nos entendemos, digo eu! Mete uma coisa na cabeça: ter uma opinião diferente não significa que ela está errada. A isso chama-se "opinião errada"! E tu, sendo gay, deverias de saber isso mais que ninguém. Ou queres fazer-me crer que acreditas piamente que diferente é igual a estar errado, tendo como base a tua vida e experiência?

Deixaste-me à espera na chuva

Arms, 27.10.08
Tristeza e mágoa. Vazio. Pingando do meu queixo enquanto as gotas frias destas chuvas de Novembro escorregam pela minha nuca. E as gotas que escorregam dos meus olhos em perfeitos pavimentos, estilhaçando num som mudo no chão. Abafados pelo som da chuva. Um som quase ensurdecedor de água, lágrimas e mágoa. Como se a minha alma gritasse dos confins do meu ser.

Estou completamente só. Estou completamente só e estou completamente molhado. Rindo numa tentativa de apaziguar o vazio que me enche por dentro e que parece querer fazer o meu peito impludir. Deixaste-me aqui à chuva. Esperando... Esperando por algo que se recusa a aparecer. E algo ruptura dentro de mim.

E estou só. Sempre foi assim. Mesmo contigo. Comigo. Com toda a gente. Vivendo num lugar onde ninguém alguma vez conseguiu entrar... perdido dentro de mim mesmo. Como se eu estivesse a viver a vida de uma outra pessoa que não eu, sendo arrastado pelas decisões daquela figura robótica.

Olho para os meus sonhos. Mais um belo sonho. Só de relance porque não mereço isto. E lembro-me de como os meus sonhos me faziam sorrir, mesmo quando estava triste. Agora só me lembro daquilo que nunca tive. Os meus sonhos destroem-me, pedaço a pedaço, por dentro. Estou preso pelas correntes dos meus erros do passado. Tão cansado... nem consigo dormir.

Não me lembro de como aqui cheguei nem o como tudo começou. Enterro a minha cara nas minhas mãos enquanto estes sentimentos inúteis se escapam. Não sei o que dizer. Já nem consigo falar.

Acho que exagerei na dose dark desta vez... Devia de estar mesmo de rastos nesse dia.

Estamos em pleno Outubro... sinceramente!

Arms, 26.10.08
Vou eu, descansadamente para o trabalho, entrando nas Amoreiras e deparo-me com enfeites de Natal. Sinceramente.

Não compreendo. Estamos ainda em pleno Outubro, dois meses antes do Natal... ainda nem está frio que se note... e já há enfeites de Natal!?

Começar a enfeitar as ruas, tudo bem. Compreendo que leve tempo. Mas num centro comercial? Em Outubro?

Não há pachorra para aturar estas atitudes consumistas. Eles às vezes abusam...

Vá lá ainda não terem arranjado uma música como aquela irritante que está sempre a tocar e tem aquele refrão do "Falta duas semanas! Falta duas semanas!"

O Inglês

Arms, 25.10.08
Um Inglês a viver em Portugal ia fazendo um esforço para dizer umas coisas em Português.

Foi ao supermercado e fez a seguinte lista:



- Pay she
- MacCaron
- My on easy
- All face
- Car need boy (may you kill oh!)
- Spar get
- Her villas
- Key jo (parm soon)
- Cow view floor
- Pee men too
- Better hab
- Lee moon
- Bear in gel


Ao chegar a casa, notou um esquecimento, bateu com a mão na testa e disse:

- Food ace! Is key see me do too much! Put a keep are you!

Desisti

Arms, 22.10.08
Eu desisti. Não desisti por ter perdido a esperança de algum dia encontrar alguém. Desisti porque o que tenho à minha volta como opções de possíveis amores é tão baixo, tão desinteressante que descobri que nem vale a pena investir o meu tempo nisto. As pessoas que conheci pelas quais demonstrei ou me demonstraram interesse são tão - não queria usar a palavra fútil, mas terá que ser - fúteis, tão shallow...

Pág. 1/3