Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

reflectmyself

reflectmyself

Não percebo!

Arms, 02.11.09

Minha amiga, eu sei que, do teu ponto de vista, há certas realidades que existem que não consegues entender, especialmente no que toca a sexualidades e a forma como as pessoas as vivem. Tu, sendo heterossexual, e estando a namorar, não te apercebes da enorme liberdade que tens diariamente com o teu namorado. Liberdade essa que tomas como garantida. É que, neste país de democracia, as liberdades só existem para alguns. Deixa-me demonstrar-te as diferenças de realidades. Pode ser que, assim, percebas o quão sortuda és.

 

  • Eu não posso andar de mãos dadas na rua com a pessoa que amo.
  • Eu não posso beijar a pessoa que amo em público.
  • Eu não posso abraçar a pessoa que amo na rua.
  • Eu não posso ter conversas mais carinhosas se estiverem possoas demasiado perto.
  • Quando vou às compras tenho que disfarçar o meu comportamento para que as pessoas não se apercebam que a pessoa que me acompanha não é mais que um amigo.
  • Quando me perguntam se namoro tenho que pensar se devo responder ou não e tenho que pensar no que posso ou não responder.
  • Não posso dar sangue se quero ajudar alguém.
  • Tenho que colocar diariamente uma máscara e disfarçar certas conversas quando estou com amigos.
  • Sou forçado a dizer comentários de pessoas do sexo oposto quando estou rodeados de amigos masculinos de forma a integrar-me para que não suspeitem.
  • Tenho que ter conversas sobre assuntos que não me dispertam curiosidade nenhuma.
  • Tenho que ter um comportamento que não é meu e que, em alguns casos, vai contra os meus valores base apenas para não ser apontado.
  • Não posso visitar a pessoa que amo quando está internado no hospital.
  • Não lhe posso deixar uma herança.
  • Não posso preencher o IRS em conjunto com a pessoa que amo nem tenho acesso aos empréstimos dados a casais.

Mas, o mais importante de todos:

 

  • Sou forçado a negar e encobrir diariamente quase tudo aquilo que me define como pessoa e sou forçado a negar e a encobrir o facto de que amo alguém e a negar essa pessoa.

Tudo isto são coisas que não percebes que me estás a negar sempre que dizes que "não percebes porque quero o acesso ao casamento civil se tenho a união de facto". E, sempre que dizes isso, estás a dizer que o facto de eu amar não tem validade nem igualdade em relação a ti.

 

E, de certeza que existem mais algumas coisas onde a tua liberdade é diferente da minha.

 

E depois dizes-me que és totalmente a favor de igualdade de direitos.

 

Não achas que estás a ser um pouco contraditória? Pensa nisso. ;)

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.